O lobo-ibérico

Prado

O lobo ibérico, a subespécie que habita a Península Ibérica, tem a designação científica de Canis lupus signatus e foi descrito em 1907 pelo zoólogo espanhol Angel Cabrera. Distingue-se do lobo que habita a restante área europeia essencialmente por ser mais pequeno e pela coloração da sua pelagem, que é mais amarelo-acastanhada. Para além disto, possui cores mais fortes e um padrão de coloração das faces e focinho diferente[5].

CLASSIFICAÇÃO
Nome vulgar: lobo-ibérico.

Nome científico: Canis lupus signatus.

Classificação: mamífero carnívoro, da família dos canídeos.

 

ECOLOGIA

Organização social

Alcateia: unidade social básica, formada pelo casal dominante e seus descendentes, com uma hierarquia bem definida.

Número de indivíduos: varia entre 2 e 10, conforme a altura do ano. Este número depende do espaço disponível, presas e número de lobos da população. O número é mínimo no inverno, antes da época de reprodução, em consequência da dispersão ou mortalidade dos juvenis de ninhadas anteriores; o número atinge o máximo no final do verão, início do outono, incluindo as crias nascidas nesse ano.

Reprodução

Época de reprodução: uma vez por ano (março – abril), nascendo as crias em maio – junho.

Período reprodutor das fêmeas: 5 – 7 dias.

Gestação: cerca de 2 meses. 

Número médio de crias por ninhada: 5, com um mínimo de 1 e um máximo de 11 crias.

Maturidade: entre o ano e meio e os dois anos, altura em que podem abandonar a alcateia à procura de um novo território e de um parceiro.

Alimentação

Necessidade energética diária: cerca de 3-5 kg, no entanto pode passar vários dias sem comer.

Dieta: predador generalista, consumindo de pequenos roedores a mamíferos de grande porte.

Presas preferenciais: ungulados silvestres, como o corço, o veado e o javali. Contudo, devido à destruição do habitat e à escassez das suas presas silvestres, é forçado a alimentar-se de ungulados domésticos.

ESTATUTO DE CONSERVAÇÃO

Península Ibérica: Quase Ameaçado (NT)

Portugal: Em Perigo (EN)

PROTEÇÃO LEGAL
Internacional

Convenção de Berna: espécie estritamente protegida.

Diretiva Habitats: espécie prioritária.

CITES: espécie potencialmente ameaçada.

Nacional

Lei de Protecção do Lobo Ibérico (Lei n.º 90/88 de 13 de agosto e Decreto-Lei 139/90 de 27 de abril): espécie estritamente protegida em Portugal.